segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Garoto eu vou pra Califórnia...

Pois é, vou pra Califórnia! Não sei se viverei a vida sobre as ondas, nem se meu destino é ser Star. Mas eu vou!

Nesse trâmite de procurar famílias no GAP e esperar um contato pela Cultural Care, encontrei uma família maravilhosa de Los Angeles/ Califórnia.

Foram dois encontros (pessoalmente, o que é raro), diversos e-mails, algumas ligações e ainda teremos muito contato daqui até minha chegada.

O mais engraçado é que só depois de um dia e meio que minha ficha caiu. Sim, tive esse delay. Sábado tivemos um almoço com meus pais e o host dad e o “match” foi feito com as seguintes palavras: “Erica, por mim está ótimo, é você! E por você?” – “Por mim está fechadíssimo!”

E assim foi decidido o próximo ano (ou próximos dois anos) da minha vida. Um almoço num sábado de sol.

Ainda fui para praia sábado à noite e voltei no final do domingo. Foi quando percebi que daqui um mês já não estarei mais aqui.

Fechei meus olhos e apurei todos meus sentidos. Senti o vento da estrada batendo no meu braço e rosto. Escutei meus amigos falando no carro.. gravei o tom de suas risadas.

Em casa, desde a portaria do prédio, vim sentindo o cheiro de tudo. O jardim, o elevador, a cozinha, a sala. Encontrei com a minha mãe sorrindo no corredor ao me ver. Essa face e esse sorriso sim, gravei no coração e nunca nada vai apagar.

Dei um beijo nela, senti o cheirinho do cabelo que tinha acabado de sair do banho. Vi meu pai assistindo noticiário, deitado na cama. Ele sempre foi mais sério, mas dessa vez me deu um “boa noite filha” tão cheio de carinho que fez meu coração se alegrar ainda mais.

Entrei no meu quarto, respondi o e-mail do host dad (não coloco nomes pois não pedi autorização para isso). Olhei minhas coisas, ainda cheguei a conversar com uns amigos.

Depois encontrei uma carta que minha mãe havia deixado em cima da minha mesa. Nela tinham algumas coisas para fazer antes de partir. (óculos novos, renovação do passaporte espanhol, etc.)

E no final da carta, depois dos afazeres, disfarçado como um dos itens, os seguintes dizeres: “Te amo filha querida. Já estou com saudades, mas vou superar porque você vai ser feliz e se descobrir. Vou te ajudar em tudo o que precisar e estiver ao meu alcance. Vou te apoiar porque confio em você.”

Nem preciso dizer que morri de saudades antecipadas (sim, existe!) depois de ler isso.

Levantei, abracei um travesseiro e comecei a perceber tudo ao meu redor. Todo meu templo de amor e carinho que construímos até agora, eu e minha família.

Observei todas as fotos no mural, meu violão que sempre esqueço de treinar mas que sou louca pra dominar as notas dele.

Minha cama, que foi o reduto de muitas noites de choro e de alegria. Sempre compartilhadas com a minha mãe ou minha amada irmã mais velha.

Depois fui até o quarto dos meus pais, os assisti dormindo. Vi a fragilidade do ser humano. Construímos uma vida, criamos os filhos e depois eles vão embora, para descobrir o mundo. Bem como os pássaros, que saem do ninho e aprendem a voar sozinhos.

Estou começando a aprender a bater minhas asas.

Ao tirar meus piercings, senti que estava me despindo da minha adolescência. Deixando para trás uma fase da minha vida. Mas com muito amor, fiz isso olhando para trás e me orgulhando de tudo o que fui até agora.

Todos os tombos que levei e depois aprendi a me levantar. As amizades que cultivei. O amor incondicional da minha família, a nossa base super fortalecida que conseguimos criar.

É, amores. Eu vou pra Califórnia... de cabeça erguida, feliz, orgulhosa do meu passado. Ansiosa com o presente e muito, muito DISPOSTA pro meu futuro!

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Mas... por que ser au pair mesmo?

Mais um dia lindo de sol e eu aqui nessa agonia de não estar fazendo nada ! O tédio toma conta até dos meus pensamentos...

Adoro ter o que fazer, ser útil, cada dia ter um novo desafio. E espero que essa rotina que estou vivendo agora mude logo ! Ainda bem que posso escrever neste tempo ocioso, isso deixa minha mente feliz !

Sabe, ontem me deparei com uma pergunta que eu não tinha a resposta na ponta da língua. E hoje fui questionada novamente sobre o assunto.

Vejamos: “Por que uma mulher de 25 anos, formada em Direito, com tantas experiências, com tanto estudo, uma mulher de negócios, que fala diversas línguas, quer viver como uma Au Pair ? Não seria limitar sua inteligência, sua capacidade? Você parece ser a candidata perfeita, mas gostaria de saber se realmente é a coisa certa para você fazer agora.”

Ontem me limitei apenas a dizer : “é um dos meus grandes sonhos viajar, conhecer diferentes culturas e línguas”.

É, não me surpreendi quando a pergunta foi refeita hoje...

Pensei melhor e consegui ver o porque disso tudo ! É uma aventura, é algo novo que realmente quero viver. Eu quero ter uma experiência única, sendo totalmente independente pelos meus atos. E voltar com um dos meus sonhos realizado.

Eu sei que já fiz muitas coisas na vida, sei que posso estar um pouco velha para isso. Mas para mim não existem limites... quero experimentar TUDO o que a vida me proporcionar.

Ser uma au pair é conciliar este sonho, esta aventura, com algo que gosto muito: crianças! =D

Eu sinto que preciso viver isso, é uma experiência que falta em minha vida. É o momento certo agora, não estou muito velha nem sou muito nova. É um desafio!

Tenho uma família linda e grandes amigos, mas nada que me prenda aqui.

Sabe quando você sente que sua vida não está mais tão interessante quanto antes? Pois é ! Eu, por exemplo, adoro escrever. E o combustível para isso acontecer são minhas experiências de vida.

Agora sinto que esse combustível está acabando ! Por isso busco uma nova motivação, uma nova experiência... Dessa vez uma das grandes !

Eu não serei simplesmente uma Au Pair ! Eu terei uma outra rotina, outra família, amigos. Conhecerei outras pessoas, outros lugares.

Fora o fato de ver a vida acontecendo diante dos meus olhos (e fazer parte disso). Ver uma criança crescer é mágico. Seus primeiros passos, primeiras palavras, como vão descobrindo tudo... São coisas que não tem preço !

Aliás, a vida não tem preço ... então vou (vamos) viver cada segundo precioso do nosso tempo .. mesmo aquele que for ocioso ... né ?! =D

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

One step at a time

Hoje posso dizer que foi um dia e tanto!

Não gosto de delongas: fiz uma entrevista com uma família! Sim, já! Eu sou dinâmica, gosto de fazer as coisas sem enrolação!!!

Bem, dia 14.02 entrei no GAP (great au pair) e selecionei diversas famílias como favoritas. Tive diversos “nãos” como resposta, mas não desanimei! Ontem à noite, vi que meu perfil ficou ativo MESMO na Cultural Care. Minha fotinho, vídeo, etc, estava na primeira fileira das au pairs disponíveis.

Eis que hoje acordo, vejo meu e-mail e tenho uma surpresa! Uma família mandou e-mail, o host dad estava em São Paulo e deixou o telefone para eu entrar em contato. Não deu outra ! Liguei, marquei uma entrevista num lugar movimentado (restaurante) e fui, na cara e na coragem !!!

Quem acompanhou o momento do e-mail até os minutos antes da entrevista foi a Faby, amiga, lindona e futura au pair. E ela mandou o vídeo da música que é o título do post de hoje: One step at the time. http://www.youtube.com/watch?v=_xA0dmUQo-w

E sim, ela tem toda razão do mundo ! Um passo de cada vez, o que tiver que acontecer vai acontecer no tempo certo, no momento exato !!!

Digo isso pois fiquei super nervosa depois da entrevista. EU AMEI A FAMÍLIA. O lugar, a rotina, enfim, tudo mesmo ! Tive o feeling como tantas dizem (ainda mais que foi pessoalmente !!!)

Mas não farei nada na afobação ! Apesar de quase 4 horas de conversa, ainda cheguei em casa e mandei um e-mail com mais perguntas, para deixar tudo bem certinho, do jeito que gosto !

Até semana que vem tenho uma resposta ! Fora isso, uma outra família está com meu dossiê, mas ainda não entraram em contato !

Enquanto isso... one step at the time !!!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Vou me permitir!

Sabe quando as idéias borbulham na cabeça e você escreve e apaga trocentas vezes seus textos, sentindo que não é exatamente aquilo que quer passar pra quem lê? Pois é. É assim que estou agora.

Mil vezes que escrevi e mil e uma vezes que apaguei. Agora é a tentativa final...

Sexta-feira uma pessoa que nunca tinha visto me perguntou se eu queria mesmo ir embora. Respondi que sim, que é um grande sonho e que estou ansiosa para ir o mais breve possível. Me surpreendi com sua resposta.

Mesmo não sendo um amigo, pareceu alguém que me queria muito bem quando disse que eu não deveria fugir dos meus problemas. E que o que procuro não estaria lá. Achei estranha a sua posição, afinal, ele tinha acabado de me conhecer.

Foi aí que parei pra pensar, se realmente transpassa nos meus olhos esse desejo de fugir, ou se só estou numa fase conturbada , um tanto perdida.

Essa semana foi um marco. A decisão de ir trabalhar como Au Pair se concretizou, fechei as portas do meu negócio e prestei pela última vez o exame da OAB.

Agora posso dizer que minha vida se divide em antes e depois dessa semana. O que até me lembrou uma música: “Eu vejo um novo começo de Era, de gente fina, elegante e sincera. Com habilidade pra dizer mais SIM do que NÃO..”

Hoje o tempo VOA e não posso mais perdê-lo. De fato não posso mais perdê-lo.

Problemas sempre teremos, por toda a vida. Abençoado é o ser que não os tem (mas duvido que exista unzinho sequer). E, se eu passar o resto da vida achando que vou fugir dos meus problemas, vou gastar o precioso tic-tac do relógio, que, convenhamos, aos 25 parece ser muito mais rápido!

Eu quero viver esse momento, eu quero sentir o gostinho da saudade de casa, eu quero aprender a resolver meus problemas sozinha, eu quero chorar escondida e depois ver que tudo vai ficar bem. Que tudo sempre vai ficar bem!!!

Que ainda tenho minhas pendências, não posso negar. Um coração apertado por causa de um amor mal resolvido, a esperança de ser advogada e o medo de deixar minha família.

Mas...

In every life we have some trouble, but when we worry we make it double.. So, don’t worry, be happy!!!

Sigo este conselho... Afinal, a vida fica mais leve assim ! (propaganda de margarina? Magina !)

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Novidades!!!





Hoje quero postar um texto que encontrei no FB de um amigo, que se encaixa ao que estou vivendo agora!!!

Ah, meu vídeo está no site já! Iupiiii!! Segue o link: http://aupairvideos.com/#BRS1627403

Pessoas com vidas interessantes não têm fricote. Elas trocam de cidade. Investem em projetos sem garantia. Interessam-se por gente que é o oposto delas. Pedem demissão sem ter outro emprego em vista. Aceitam um convite para fazer o que nunca fizeram. Estão dispostas a mudar de cor preferida, de prato predileto. começam do zero inúmeras vezes. Não se assustam com a passagem do tempo. Sobem no palco, tosam o cabelo, fazem loucuras por amor, compram passagens só de ida.

E aí? Você se acha interessante?

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Roendo as unhas!!!

Confesso! Já roí todas as unhas de nervosismo!!! Mas, phyna como sou, dei um jeito de colocar umas postiças pra não me sentir muito mal!!! Se bem que, com esta ansiedade descontrolada, sou capaz de roer até as unhas falsas! hahaha

Um dos motivos desse desespero foi o fato de não ver meu vídeo no site (aupairvideos.com). COMO ASSIM? Eu postei ontem e hoje ainda não estava lá??? Mandei mais um e-mail para a querida Luiza, da agência CC de São Paulo, eis que tenho a seguinte resposta:

"Quanto ao au pair videos funciona da seguinte forma: a seleção de quais videos aparecerão é feita pelo Operations em Boston, é uma pequena amostra e eles escolhem de acordo com o perfil que considerem mais forte."

WHAT? Isso significa o que? Que meu perfil é fraco? Surtei no caqui!!! Depois, conversando com umas queridonas na página da Cultural Care no Facebook, descobri que talvez a informação que me foi passada está errada. =[

Ruim porque espero que toda informação da agência seja correta. Bom porque disseram que o vídeo demora de 2 a 3 dias para ficar disponível no site!

Ah, ela também disse que eu fui bem no teste de inglês. E que um perfil forte é com bom nível de inglês, tipos de experiências com as crianças e com direção (e frequência). Isso me tranquilizou, pois tenho experiência com praticamente todas as idades, muito mais de 200 horas com crianças de 0 a 2 anos e dirijo a quase 7 anos (e quase todo dia!).

Acho que ainda ficarei nessa por alguns dias, até acalmar a cabeça com a novidade e me acostumar com o processo. Enquanto isso, vou dividindo minhas agonias por aqui!

Pra finalizar o post, a tradução da música que coloquei no vídeo! =D

Conte Comigo

Se você alguma vez encontrar-se no meio do mar
Eu vou navegar o mundo para encontrá-lo
Se você alguma vez encontrar-se perdido no escuro e você não pode ver
Eu serei a luz para guiá-la
descobrir o que somos feitos
quando somos chamados para ajudar nossos amigos em necessidade

você pode contar comigo como um, dois, três
Eu estarei lá
e sei que quando eu precisar dele
Eu posso contar com você como quatro, três, dois
e você vai estar lá
Porque é isso que os amigos estão sujeitos a fazer
oh yeah
(Ooh ooh ooh ooh ooh)
(Ooh ooh ooh ooh ooh)
(Yeah yeah)

Se você estiver jogando e você está girando e você não pode adormecer
Eu vou cantar uma canção ao seu lado
e se você esquecer o quanto você significa para mim
Todos os dias eu vou te lembrar
ó
descobrir o que somos feitos
quando somos chamados para ajudar nossos amigos em necessidade

você pode contar comigo como um, dois, três
Eu estarei lá
e sei que quando eu precisar dele
Eu posso contar com você como quatro, três, dois
e você vai estar lá
Porque é isso que os amigos estão sujeitos a fazer
(oh yeah)
(Ooh ooh ooh ooh ooh)
(Ooh ooh ooh ooh ooh)
(Yeah yeah)

você sempre terá o meu ombro quando você chorar
Eu nunca vou te deixar, nunca direi adeus

você sabe que pode contar comigo como um, dois, três
Eu estarei lá
e sei que quando eu precisar dele
Eu posso contar com você como quatro, três, dois
e você vai estar lá
Porque é isso que os amigos estão sujeitos a fazer
oh yeah
(Ooh ooh ooh ooh ooh)
(Ooh ooh ooh ooh ooh)
você pode contar comigo Porque eu posso contar com você

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Que comece a procura!!!

Mais um dia e mais uma novidade: estou oficialmente ONLINE no site da Cultural Care! E o que isso quer dizer? Bem, significa que, a partir de hoje, as famílias americanas já podem ter acesso ao meu perfil!!!

As famílias que se interessarem, ficarão com meu perfil e entrarão em contato (ou simplesmente desistirão). A partir daí, começamos a nos falar até acontecer o match, que digamos, é a liga, o grude, o encontro... Vou fantasiar agora:

Imaginem aquela cena romântica: a menina está num campo maravilhoso, pôr-do-sol como pano de fundo, olha para trás e encontra seu grande amor. Os olhos de ambos brilham e eles saem correndo para se abraçar. E, quando isso acontece, borboletas voam ao redor deles e corações surgem acima de suas cabeças. Este é mais ou menos o macth entre uma Au Pair e uma família!!!

Bem, já postei meu vídeo (encontra-se abaixo deste post, vejam e comentem!!!). Agora o que me resta fazer é ter paciência!!!

Enquanto isso, continuo aqui... sendo feliz!!! =D


video

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Ansiedade

Acredito que já era ansiosa antes mesmo de nascer. Não nasci prematura e talvez seja culpa da minha mãe (desculpa mamis), por ter feito cesária... eu sempre digo a ela que deveria ter me deixado mais um tempinho lá, antes de me colocar nesse mundão maluco!

Enfim, eu sei que as pessoas são ansiosas por natureza, mas eu sou ao extremo! Quer me matar? Fala que vai ligar e não liga, ou combina algo e não faz! Vocês não têm idéia de como isso mexe com meus neurônios, deixando-os mais aflitos que mendigo na fila da sopa!

Minha ansiedade atual é a espera para ficar online no site da Cultural Care, a empresa que me inscrevi no processo de intercâmbio.

Quinta-feira passada, dia 03/02/2011, recebi um e-mail dizendo que, em até 5 dias, eu receberia um e-mail com minha senha para acompanhar meu processo pelo site. E, veja bem, eu fiz Direito, esses anos me ensinaram a ser chata e metódica. São 5 dias úteis ou corridos? Se forem corridos, o prazo é hoje! Se forem úteis, dia 10/02.

Resolvi mandar um e-mail apara a agência e recebi a resposta que "esta semana receberei a senha". Não posso dizer que fiquei mais aliviada, porque esta semana ainda é longa, então a ansiedade também será, mas pelo menos descobri que tenho um prazo! (eu que sempre odiei prazos na advocacia, me vejo submissa e feliz com eles agora)

Estou com tudo pronto, vídeo de apresentação (não sei linkar aqui, depois mando o site quando estiver no ar), perguntas pra hostfamily, pesquisa de lugares, o que e como levar, remédios, roupas, onde comprar, etc. A ansiedade é boa por este lado, já me adiantei com todas essas preocupações!!!

Bom, o que me resta agora é esperar, porque, pelas coisas que faltam do processo (match, visto, carteira internacional de habilitação, etc) ainda ficarei MUITO ansiosa!!!

Que me sobrem os cabelos!!! Não sei se peruca é barata nos EUA...


segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Érica na América

Pensei por alguns minutos qual seria o título do primeiro texto do blog e não pude evitar que fosse seu próprio nome.

Nada mais justo, certo? Afinal, a primeira postagem deve explicar o porque da criação do blog. E, não que eu seja fã de regras, mas seguirei o que parece clichê, mas que é necessário para a compreensão dos mais perdidos.

Meu nome é Érica, tenho 25 anos, sou formada em Direito (mas não sou advogada). Paulistana, mimada, amiga, engraçada, teimosa, careta, ousada, confusa e atrapalhada.

Depois de tentar gostar da área jurídica e falhar, tentei me arriscar num restaurante de comida japonesa. Devido aos sócios ou a grande maré de azar (prefiro pensar nesta opção para não me irritar), mais uma tentativa que fracassou.

Porém, como diz o dito popular "sou brasileira e não desisto nunca", resolvi realizar um antigo sonho. Mesmo depois de "velha", farei um intercâmbio. Sim, vou-me embora destas terras, onde seus lindos campos têm mais flores e partirei pra terra do Tio Sam. (USA)

Depois de muito pesquisar e algumas indicações, escolhi ser Au Pair (babá) num programa pela empresa Cultural Care (www.culturalcare.com.br). Como tenho grande afinidade com crianças, entendi que esta seria a maneira mais barata e agradável de realizar este sonho.

Confesso que no começo fui na afobação, achando que seria tudo fácil e rápido. Mas vi pela frente um dossiê bem detalhado e demorado para ser preenchido.

Agora que as coisas já estão encaminhadas (dossiê preenchido), estou aguardando apenas que eu fique online no site da Cultural Care para que as famílias possam me escolher. (depois explico com maiores detalhes).

Enfim, este será meu canal de comunicação com meus amigos, familiares e outros interessados. Contarei como estão as coisas antes de ir e quando já estiver lá! =]

Luv Ya!